] sexta-feira, dezembro 07, 2007
 



Dunder Mifflin, this is Pam

DAS TELECOMUNICAÇÕES - Se são 12h23, tu liga pra uma empresa e o telefone toca até o último toquezinho e ninguém te atende, tu deveria imaginar que não tem ninguém na sala porque é hora de almoço.

Se já é a quinta vez em poucos minutos que tu liga pra empresa e deixa o telefone tocar até o último toque e ninguém atende e são 12h27, tu já deveria ter imaginado que é hora de almoço e todos estão almoçando.

Se tu liga pra um ramal e ninguém atende, é possível que a pessoa que atenda venha a te dizer que a pessoa pra quem tu ligou não se encontra na sala no momento.

Se, num escritório enorme, um telefone toca, ao longe, e não pára nunca mais de tocar, não enlouqueça e também não peça pro colega mais próximo pra atender a ligação. Se as pessoas estão trabalhando, concentradas, a última coisa de que elas precisam é ter que atender o telefonema destinado a alguém dum setor longíncuo e tentar resolver um problema sobre o qual elas ignoram absolutamente tudo.

Telefonistas foram feitas justamente pra esse trabalho: passar o fone pra alguém e, eventualmente, dizer: no momento ninguém atende neste ramal, senhor. Mas elas precisam que tu ligue e solicite muito muito que isso seja feito.

Nerds não odeiam atender telefone porque sejam anti-sociais. Nerds gostam de trabalhar, por isso nerds odeiam atender telefone. Na maioria das vezes, atender telefone atrapalha o trabalho e o telefonema é desnecessário ou pra outra pessoa.

DA ZOOLOGIA – Nas corporações, sejam elas mega empresas, sejam elas empresinhas básicas, sejam elas mega que se comportam como jecas ou básicas com nariz empinado de megas, não importa, nas coorporações sempre existe uma preocupação constante com a preservação da classe dos répteis, da sub-ordem das serpentes. Antes no escritório se pudesse usar uniformes como os da fábrica. Principalmente em se tratando de botas.

DA ALIMENTAÇÃO – Tu vai na micro lanchonete da empresa, que oferece as mais variadas qualidades de lanches péssimos, gordos, mal feitos e nojentos, os quais são a única alternativa melhor pra quem não tem acesso ao refeitório da empresa ou pra quem, tendo acesso, não consegue mais engolir aquela comida. Então, na lanchonete... Tu pergunta se o folhado era de frango, porque tu não come carne vermelha. “Olha, ontem era de carne, hoje não sei se veio de frango ou não”. Tipo assim tu paga, come e tudo bem, porque frango e guisado de boi não tem diferença mesmo. Tu queria de guisado e veio de frango? Azar... não é sempre que vem de guisado. E nem tem como adivinhar, né? Só mordendo. Com o cheese-com-ovo é a mesma coisa. Vem com hamburger de boi se tem isso disponível. Se não, vem de frango. Ninguém, ninguém te pergunta: quer de carne bovina ou de frango? Ninguém.

DA SAÚDE PÚBLICA – é sempre bom ficar bem informado a respeito da mão de quem dá pra se apertar sem medo. O ideal é arranjar um amigo do sexo oposto pra que vocês possam trocar informações sobre quem lava as mãos depois de usar o vaso sanitário e quem não lava. É bom também saber outros detalhes. Tipo o caso específico daquela dupla que até no lavar as mãos é igual. Saem da casinha e deixam algumas gotas d´água cair sobre os dedos, e depois secam. Aposto que é super saudável comer uma salada preparada por uma dessas duas. Raramente se aperta a mão de alguém do próprio escritório, de modo que essa informação acaba sendo um extra. Mas é pelos hábitos de higiene que, muitas vezes, é possível conhecer o caráter de uma pessoa.

DAS COISAS IMPORTANTES DA VIDA – Assim como se conhece as pessoas observando se elas lavam (ou como lavam) as mãos depois de usar o vaso, é no lavabo, na hora de escovar os dentes, minutos antes de começar o segundo turno de trabalho, que se descobre muito da vida dos seres humanos. Coincidentemente, as mesmas pessoas que largam água na ponta dos dedos, por dois segundos, depois de fazer qualquer coisa no vaso, são as mesmas pessoas que usam esse espaço físico e temporal pra colocar as fofocas em dia. E todas, mas todas as fofocas versam sobre um desses quatro assuntos: dietas, as filhas, coisas de dona de casa, cabelo-roupa-maquiagem. To-das. De forma que tu acaba escolhendo outro horário pra escovar os dentes, porque é difícil ficar escutando isso. Ou a filha de uma fez uma coisinha engraçadinha (diga algo como “mamãe, porque eu não posso fazer luzes no meu cabelo?”, o que entra na categoria filhas mas também na cabelo-roupa-maquiagem). O assunto da semana passada foi sobre as lindas flores de veludo que uma delas queria comprar pra enfeitar a árvore de natal, sobre como decidir montar a árvore demorou, porque já era hora de ter montado duma vez, e sobre como, no ano passado, ela (uma delas) gastou uma fortuna com bolas rosa pink pra árvore porque a filha queria tudo rosa pink no natal. De repente a pessoa decide ficar com bafo de sanduíche ou cachorro quente até 13h30 porque esses assuntos, definitivamente, são pesados de mais pra hora da higiene pós-almoço.


[ Penkala ] 11:18 ] 6 comentários

 
eu uso óculos




CLICA QUE VAI:
www.flickr.com
Penkala's eu, casa & coisas photoset Penkala's eu, casa & coisas photoset

BLACK BIRD SINGING:

Get Firefox!








Powered by Blogger


RSS