] quarta-feira, abril 09, 2008
 
desde 2006 que as coisas não andam lá muito santas pro meu lado. se acontece uma coisa bacana (muito raramente), duas dão errado. o que depende de mim, eu luto pra dar certo, mas raramente algo depende só de mim. teve momento em que eu achei que tava exagerando, mas uma coisa punk atrás da outra é muito. os dedos dos pés e das mãos não seriam suficientes pra listar todas as desventuras em série dos últimos quase dois anos.

hoje minha mãe faz 51 anos. tentei ligar pro celular e dava caixa de mensagens. até semana passada, estava em Portugal (a terra dela) com meu pai e minha irmã, em merecidas férias/presente pros três. saíram de Portugal pra finalizar a viagem fazendo uma passagem breve por Barcelona e Madri, pra conhecerem. uma coisa meio mochileiros, de dormir no trem pra economizar tempo e grana pra poder curtir tudo o que dá. no domingo, em uma estação de metrô de Madri, eles foram assaltados e perderam todos os documentos e dinheiro. a viagem, que ia terminar em Roma, de onde voltariam pro Brasil, está acabada. eles ficaram retidos em Madri e, porque minha mãe é portuguesa, foram enviados a Portugal de novo. eu soube de tudo por acaso, porque provavelmente meus pais não quiseram deixar a gente saber pra não assustar ninguém. os pais têm dessas coisas, às vezes.

não sei de nada, não tenho notícias, não consigo saber de nada. as embaixadas brasileiras em Lisboa e Madri estavam fechadas, porque o expediente termina às 17h e eu fiquei sabendo quando, aqui, eram 13h (na Europa, pelo horário de verão, no mínimo quatro horas a mais). os consulados aqui em Porto Alegre de nada sabem.

na noite passada, como em todas as noites, fiz uma oração pedindo pela saúde da minha família e minha e pra que nada desse errado pra nenhum de nós. é o que eu sempre faço. que mantenha a todos com saúde, minha avó com saúde e lucidez, meus pais com saúde, força e boa sorte, aos jovens, coragem pra enfrentar qualquer coisa e que nada de ruim nos aconteça. a cada nova coisa ruim que acontece, ou a cada nova chance que não dá certo, meus joelhos ficam fracos, mas eu acabo fazendo essa oração todas as noites.

hoje eu perdi a fé. chega. não tenho simplesmente mais saco pra aturar essa avalanche de merda, uma atrás da outra e depois pensar em coisas boas e em que tudo dê certo. se eu peço que nada de ruim aconteça e só acontece merda, ou estou pedindo errado, ou estou errada em pedir. no budismo, diz que o desejo é a fonte do sofrimento, já que quando os desejos são frustrados, o sofrimento abate. no meu anarco-comunismo tosco, eu tenho é que agradecer porque tem gente que sofre muito, mas muito mais que eu (com certeza). no meu egoísmo eu só penso no que eu e as pessoas que eu mais amo fizeram de ruim pra merecer tanta bosta junta. cheguei ao cúmulo da auto-piedade. mas à puta que pariu, sabe? estou cheia.

e, aliás, terminando esse post acabo de receber mais uma notícia de merda sobre uma coisa que estou esperando há muito tempo.

valeu, seja lá quem for com o galo preto na mão. escusava de matar o bichinho só pra rebentar com a minha vida, viu?

[ Penkala ] 14:54 ] 2 comentários

 
eu uso óculos




CLICA QUE VAI:
www.flickr.com
Penkala's eu, casa & coisas photoset Penkala's eu, casa & coisas photoset

BLACK BIRD SINGING:

Get Firefox!








Powered by Blogger


RSS