] quinta-feira, agosto 21, 2008
 
in. the. face!

tá, eu vou contar. porque eu não sou judia, mas a auto-depreciação é um dos meus tipos de humor preferidos. eu, terça de noite, na sala de aula, mandando os alunos calarem a boca:

- aêeee, vamo fazê silêncio, hein?
- ...
- já diz a minha vó: quando um burro fala, os outros abaixam as orelhas...

veja. eu venho duma família que tem a real noção do seu lugar. o tipo de família que nunca fala DICIONÁRIO, mas amansa. amansa as in AMANSA BURRO.

e aí eu emendo:

- sim, minha vó é portuguesa, então ela sabe do que tá falando...

meio minuto depois, aquela parada básica do stand up comedy, e eu pergunto:

- tem nenhum português nessa aula não, né?

nesse momento vocês devem estar se perguntando: eu estava com a certeza de que não teria, certo?

errado. eu só ignorava que os portugueses ainda continuassem saindo de portugal e vindo dar com os beiços nas águas do brasil. o movimento tem sido o contrário, ultimamente.

uma aluna levanta a mão.

momento de total blushing. da minha parte (nos tons cereja e roxo) e da parte dela (somente um tom cereja, porém bastante intenso).

- onde é que nasceste?, pergunto eu, na total inocência. veja que sempre que alguém diz que veio de portugal eu sempre quero saber se a criatura não nasceu em águeda, né? terrinha da mama. aquele tipo de patricismo por hereditariedade.
- em coimbra, responde ela.
- ahn. terra de uma das melhores universidades do mundo (invejem, mortais! fora que a cidade é linda pra caralho!)


e eu fui honesta. e ainda emendei, depois de falar que minha mãe é portuguesa e que conta mais piada de português que eu, e depois dela falar que nasceu lá porque o pai dela foi fazer mestrado/doutorado:

- o sonho de toda a minha família é fazer mestrado/doutorado na universidade de coimbra... (não rolou, ainda)

...

o legal é que tem uma pelotense na minha aula. descobri uma conterrânea pra quem eu posso fazer piada. o ruim é que eu não faço piada de pelotense. e nem de português (as de humor negro não têm fronteiras). levei na boa e assumi a gafe. espero que a aluna tenha levado na boa também. até porque ela comentou:

- e eu ainda sou loira, então...

ao que eu respondi:

- é, eu também sou, mas aí eu dei jeito nisso. as pessoas dizem que eu tenho inteligência artificial... (oi, urubua!)

tipo, nem de loira eu faço piada.

levei na boa a gafe porque, sinceramente, nenhum preconceito da minha parte. se eu tivesse preconceito, além de idiota por ter preconceito, eu seria idiota por ter preconceito logo da minha "raça". afinal, português, polaco, loira, negro e judeu é o que não falta na minha família.

(me nego a fazer piada "racial" única e exclusivamente pelo local de nascimento ou pela cor da pele...)

mas isso é pra eu aprender a não achar que "nah, não vai ter ninguém parente do Lasier aqui na sala, né? nem preciso me preocupar". já dizia aquele programa de rádio daquela rádio mega jabazenta que só toca música ruim:

na caaaaaaaaaaaaaaaara!

[ Penkala ] 19:01 ] 4 comentários

 
eu uso óculos




CLICA QUE VAI:
www.flickr.com
Penkala's eu, casa & coisas photoset Penkala's eu, casa & coisas photoset

BLACK BIRD SINGING:

Get Firefox!








Powered by Blogger


RSS