] domingo, setembro 27, 2009
 
a miss simpatia e os testículos

duas vezes numa semana só eu ouvi a tese vigente de que os homens se sentem castrados por mulheres mais fortes, mais bem sucedidas, mais poderosas ou simplesmente que tenham maior salário que eles. eu juro que entendo que os homens carregam em cada célula do corpo um dispositivo que faz com que eles se sintam incapazes quando não conseguem sustentar suas famílias. mas assim como a natureza enfiou esse troço na cabeça dos homens, também enfiou o dever de procriar, de querer ter filhos. mais do que poder sustentar os filhos e a mulher, o homem precisa querer ter filhos, porque do contrário a humanidade iria acabar, enquanto espécie.

só que nem todos querem ter filhos. e isso não é absolutamente problema nenhum. só que o homem que não quer ter filhos, assim como a mulher que pensa igual, estão, do ponto de vista da natureza animal, errados. socialmente e culturalmente amparados, mas biologicamente equivocados. só que ninguém questiona isso - do ponto de vista social - usando como argumento que eles precisam procriar, porque é assim que a natureza faz com que animais possam perpetuar suas espécies. por que, então, ainda permanece como desculpa - esfarrapada - que os homens têm medo de mulheres dominantes porque, por sua natureza, elas tiram dele, assim, sua masculinidade (proteger, sustentar, etc e etc.)?

se a evolução deu jeito de tornar normal que alguns homens e mulheres não queiram procriar (o que é salutar na espécie humana, se formos pensar que não fosse isso, o mundo teria acabado já há muito tempo por conta da superpopulação), a natureza também deu jeito de tirar esse mimimi todo de que a mulher dominante castra o cara. psicologia demais só fode as coisas. é bem cansativo quando a gente ouve essa babaquice de "ela castrou ele, porque ela domina, ela é forte, ela isso, ela aquilo". porra! cresçam, homens! sejam homens, pelo amor dos seus dentes!

só que é inevitável. alguns até curtem uma dominatrix da vida real, e acham o máximo poder contar com um salário bom que ajuda a dividir despesas e a custear metade dos gastos nas viagens de férias, das engenhocas tecnológicas caras e complexas que todos os homens adoram. só que no fim das contas, ali, no momento nevrálgico, eles ficam em pânico ao lado de uma mulher que ganhe mais, que mande, que tenha um título maior, que domine a situação, que carregue suas próprias malas, que troque resistências de chuveiro. e aí, abre "palhaçada psicológica barata", eles morrem de medo de deixar o pau perto duma mulher que é assim. porque ele murcha, porque ele queima, porque dói, porque ele definha. porque a mulher pode ter um ataque de tirícia e pegar a cabeça e a base do troço e PÁ, quebrar o membro. fecha "palhaçada psicológica barata".

ok, meu amor. quer ser o mais forte? quer manter a soberania do pau dentro de casa? quer ser o que fala mais grosso? quer andar de relho, estalando no ar? então seja homem! tenha colhões! é assim que um homem é homem, porra! agindo como tal. pra começar, comecem tratando suas mulheres como se deve. com respeito. depois andem mais uma casa e tentem agir como alguém que tem mais de 6 anos e não tem medo de assumir as coisas. querem proteger a mulher? andem mais uma casa e não deixem que ela se sinta um lixo, que ela perca a dignidade - humana, especialmente -. tornar a mulher mais fraca pra poder ficar forte é coisa de cuzão. bunda mole. tem medinho de quebrar o pipi? quem sabe tratando a mulher como gente, quem sabe sendo gente, quem sabe não fugindo da vida, quem sabe batendo mais forte na mesa e gritando "deixa comigo!"? duvido que uma mulher, por mais forte, enorme e grandona que seja, tenha força, por mais que tente, de quebrar isso aí se isso aí for digno o suficiente. porque a gente não tem paciência de esperar vocês crescerem, sabe? se a gente pede um troço que precisa ser JÁ, é já e deu! se o mundo fosse esperar pra que os homens se preparassem pra situações delicadas, a humanidade teria sucumbido legal. não fica aí com cara de quem engoliu uma lesma! do contrário, a gente vai e faz, porque as coisas precisam ser feitas. por mais nojentas que sejam.

porque cansa, sabe? tu trabalha, tu batalha, tu enfrenta paspalhos o dia todo fazendo gracinha, falando coisas que dão nojo, e tem que estar sempre bonitinha, e aí ainda tem que aguentar esse mimimi todo de castração? tenha compostura, meo! uma hora ficam agindo feito o filhotinho da mamãezinha, que não sabe isso, não consegue aquilo, precisam da mulher pra tudo (a gente gosta de proteger, mas as coisas têm limite). aí, na hora do combate, se atiram no chão, se arrastam mais um pouquinho pra entrar na área e gritam "faltaaaa!". tenha a santa paciência! depois as mulheres é que estão loucas? porque assim, desse jeito, qualquer um pira, sabe? mulheres fortes pra caralho ainda assim precisam de um mínimo de coerência pra poder funcionar. o que os homens querem da gente? decidam, porque tá ficando complicado entender isso tudo.

aí é triste, né? porque os homens acabam procurando as fraquinhas. sempre as fraquinhas. ou as burrinhas, ou as piás, ou as débeis peruas mimadas que se ofendem tanto quando precisam pagar o motel que são capazes de espalhar que o cara é broxa pra geral. ou tudo isso junto, às vezes. porque assim eles podem ser alguma coisa mais. experientes, viajados, provedores, professores, fortinhos e tal. aí ficam se ufanando da carinha da gatinha, que presta atenção, babando, nas coisas espertas e inteligentes que eles dizem. só pra constar: se nós, mulheres com orgulho do próprio cérebro e outras habilidades, estamos com vocês, é porque estamos interessadas. não no pau, que isso, com certeza, tem em várias cores pra vender. muito menos no dinheiro, que é pra isso que a gente trabalha. não na proteção, porque é pra isso que existe o treino de boxe (não só pro deleite fetichista de vocês - que, ok, a gente aceita de bom grado, tá?). estamos interessadas no papo, na companhia, no corpo todo, na voz, no nariz, nas habilidades que só os homens têm de descobrir como arrumar uma porcaria qualquer que se ligue na tomada. não é porque a gente não grita pras amiguinhas que "ai, ele é tão inteligente!" que a gente deixou de estar interessada no que vocês dizem. porque, francamente, pra arrancar esse elogio aí duma mocinha frágil, burra e fedelha não precisa muito. até uma piadinha nerd das mais fracas é capaz de passar por tirada inteligentíssima.

se me permitem, caros, eu vou dizer: é a gente que escolhe estar com vocês apesar de qualquer coisa. o mínimo que vocês precisam fazer é ter a idade mental igual à idade cronológica. porque dói ser miss simpatia, sabe? dói ser aquela que atura todas as merdas do cara pra depois ele dar o que pode dar de melhor pra alguém que faz o ego dele explodir. depois a gente vira um bando de chatas e vocês não sabem por que. é o cansaço. é o saco cheio.

é por isso que nem sempre dá pra gente manter a depilação em dia (pras que aceitam passar a gilette a cada 20h ou a cera a cada mês pra agradar o moço), nem sempre dá pra gente sair de casa com uma calcinha que pinica a bunda pro caso do cara querer dar uma rapidinha na hora do almoço (isso pras mulheres que aceitam que precisam estar sempre fantasiadas de manequim de loja de lingerie pra poder manter um homem interessado). nem sempre dá pra fazer tudo isso porque a gente precisa ainda se virar em 528 pra poder dar conta de tudo aquilo que os homens demandam. pelo padrão vigente, eu, por exemplo, precisaria ser uma atriz fenomenal pra me fazer de burra pra não parecer mais inteligente que os caras (mesmo que ele seja uma tranca). e eu não sou inteligente o suficiente pra manter o papel de burra por muito tempo. sempre vai escapar alguma coisa. "fuck! eu mencionei supernovas!" "puta que me pariu, eu ri da piada da Penny sobre mecânica quântica!"

e eu penso: "porque as mulheres inteligentes são interessantes", dizem eles.

interessante, meu querido. interessante é o mesmo que dizer "gosto de ti como amigo". interessante é só um pouquinho menos terrível que "simpática" e "bonitinha". depois disso teria o "esforçada", mas não esculhembemos.

é por essas e outras que eu levanto a mão direita e faço "mimimi" sempre que escuto esse papinho de "mulher castradora". sim, elas existem. mas a maioria dos homens está bem longe de ter uma castradora em casa (ah, aposto que iriam ficar apavorados com uma de verdade!). até porque, entre outras coisas, nós, mulheres hétero, não estamos interessadas em homens fora de combate. aliás, é justamente isso que a gente espera. que vocês tenham colhões. e todo o resto, claro. do contrário, vocês não passariam de escrotos, né?

[ Penkala ] 20:43 ] 2 comentários

 
eu uso óculos




CLICA QUE VAI:
www.flickr.com
Penkala's eu, casa & coisas photoset Penkala's eu, casa & coisas photoset

BLACK BIRD SINGING:

Get Firefox!








Powered by Blogger


RSS