] sábado, abril 17, 2010
 
se eu acreditasse em Deus...

acharia que ele não tem destreza alguma em jogar com as pecinhas. acharia que a vida é uma Batalha Naval e Deus disparou seu canhão contra um lugar aleatório, e eu é que tenho o azar de estar nesse lugar. que ele joga War muito mal e não deixa meus exércitos conquistarem Vladivostok. não tenho medo de guerra, não tenho medo de frio. por algum motivo, Deus não saberia brincar...

acharia que as coincidências tão grandes desta vida são ele achando que sabe escrever poesia, rimando pessoas como se fosse química, citando Kafka como se não fosse triste, escrevendo versos que se combinam tão perfeitamente, mas que ele se aborrece e estraga e termina sem ter acabado. porque se eu acreditasse em Deus, e ele fosse metido a poeta, ele teria um talento enorme pra criar os conflitos, mas no desfecho do roteiro ele é um escritorzinho de merda.

pensaria, sinceramente, que ele é que nem eu no laboratório de química, no colégio. num tubo de ensaio, rabiscando nanobig-bangs, testando ligações, e produzindo efeitos de pirotecnia, mas fracassando terrivelmente por não ter calculado os riscos. os outros, claro, é que se lixaram.

acreditaria que ele gosta de agenciar lutas, mas junta adversários de categorias diferentes porque viu eles conversarem no vestiário. e, obviamente, pensaria que Deus não se importa quando o peso pena, que tem uma esquiva fenomenal e uma guarda acurada, leva um cruzado do peso pesado que costuma ter o apelido de Muralha e dizem ser assassino nato. Deus também não saberia, se eu acreditasse nele, que o peso pesado tem cabeça dura e coração mole, e que possivelmente chore ouvindo jazz. e que o peso pena jamais se deixava pegar porque tinha medo de se quebrar todo, mas que quando entrava numa luta, era furioso, passional. conhecido entre o meio como O Destruidor, o que normalmente gerava piada. então eu só poderia dizer, se eu acreditasse em Deus, que ele é um fracasso arranjando lutas. normalmente duram um assalto e deixam o ringue manchado de sangue. A Muralha queria lutar, mas ficou mal de ter que dar o cruzado. O Destruidor (hehehe) sabia que não poderia bater de frente, mas queria poder lutar ao menos.

eu também seria capaz de apostar que Deus é o grande cafetão por trás do bordel de Lady Murphy. jovem recalcada, se diverte recebendo ordens do patrão, dando às meninas os clientes que elas mais temem. conhecia suas "protegidas" pelo medo, e sempre colocava a moça com medo de lobos com o sujeito mais peludo da cidade, a que desmaiava vendo sangue com o açougueiro, e, à menina com pavor de gatos, dava justamente o domador, que tinha um leão forte e grande, mas era perito em controlar o animal.

até diria que ele é meio como o Einstein, péssimo em matemática no colégio, mas o gênio da física. não sabe o que são números primos, mas se diverte com a exatidão das leis que agem sobre todos os seres. a da gravidade ele descobriu quando brincava de jogar pianos de cima de prédios. os passantes que se cuidassem, os que adoram piano que se remoessem. os melhores e mais duros pianos se quebravam. as mocinhas pianistas lamentavam, mas não sabiam se choravam pelo piano ou pela dor do choque. e tem aquela lei que eu acho o máximo, que diz que à toda ação corresponde uma reação igual e contrária. se eu acreditasse em Deus, diria que é um sádico provocando ações e reações entre os elementos antes inertes, só pra ver se desbanca Newton e prova que é possível, sim, que aquela bolinha vá bater na outra bolinha e nada de mais vá acontecer. aí as bolinhas nunca mais param de se bater e não tem lei que faça parar. se eu acreditasse em Deus, diria também que ele é burro. ou é aquele mestre do universo frustrado que nunca entrou no doutorado e agora fica brincando com a vida dos futuros doutores.

a sorte é que eu não acredito em Deus. e posso até gritar pra ele uns palavrões em polonês, que o Papa agora é outro. e se ele existisse e eu é que estivesse errada? bom, o máximo que ele poderia fazer contra mim seria jogar um raio na minha cabeça, de pura raivinha. por sorte, ou azar, sei lá, um raio nunca cai duas vezes no mesmo lugar...

[ Penkala ] 13:37 ] 0 comentários

 
eu uso óculos




CLICA QUE VAI:
www.flickr.com
Penkala's eu, casa & coisas photoset Penkala's eu, casa & coisas photoset

BLACK BIRD SINGING:

Get Firefox!








Powered by Blogger


RSS