] segunda-feira, junho 07, 2010
 
carta aberta

caríssimo ser humano que não vai cortar meu coração em 20 milhões de pedaços,

tudo bem? comigo não tá tudo bem. e eu decidi mandar esta carta porque penso que talvez exista uma chance de evitar que tu cometa erros que possam me machucar. e se eu estou escrevendo isto, é porque a premissa de gostar pra caramba de ti já está cumprida. desculpa se eu estiver sendo bossy, se for petulância, se eu estiver sendo professorinha demais. espero que entendas, já que é uma questão de sobrevivência.

quando for se aproximar de mim, nem precisa dizer. eu sei que sou bonita. embora tenha passado muito tempo me sentindo um lixo (e muito tempo sendo um também), embora tenha passado muito tempo sem ouvir isso de quem interessava, eu sei que sou. minha mãe vai te dizer que sou bonita por dentro que é uma beleza. pois ela também me acha bonita por fora. coisas de mãe. mas eu sei que sou, então nem precisa dizer.
não precisa comentar sobre nenhum dos meus atributos, alguns dos quais conquistei via Natureza, outros conquistados com balé, handebol, basquete, atletismo e, mais tarde, boxe. eu sei que se eu passar por uma construção, geral vai comentar. porque pedreiros, né? sabe como funciona.
não precisa me deixar roxa de tanto elogiar meus olhos, boca, nariz, cabelo, sabe lá o que mais de tara vocês, meninos, têm. não precisa ter grandes tatos, nem me dar sapatos, muito menos mandar dúzias de flores. já disse que olhos, boca, nariz são coisas que ganhei dos meus pais. os cabelos são uns pobres coitados que vivem sob os meus caprichos de rebeldia. sapatos eu tenho o suficiente, e a maioria é tênis mesmo. e flores, agradeço. mas prefiro que fiquem vivas.
eu só quero que a distância te doa fininho no coração, e que essa dor te faça fazer qualquer coisa pra diminuir o espaço entre a gente.
que tu de fato leias o que escrevo com gosto, e vejas o que fotografo com interesse real, e saibas algumas coisas sobre a cidade onde nasci, e tenhas o meu perfil de tuíter aberto pra ver o que escrevo sempre.
e que tu seja carinhoso sem ser dependente demais.
e que tu pareça patético com a afobação por querer me ver.
e que dias longe de mim te façam sentir muito.
e que eu seja suficiente pra ser a única e mais importante.
e que eu seja uma das prioridades. e que eu seja tão especial a ponto de te demover de idéias muito fortemente enraizadas. e que eu seja aquela pra quem tu dá coisas que nunca vais dar pra outra pessoa.
eu quero ser respeitada acima de tudo.
eu quero que tu prefira que um raio caia sobre tua cabeça a me humilhar.
eu quero que tu não fuja depois que eu deixar escapar que gosto de ti pra caralho.
eu quero que tu não fique com medo quando eu chegar ao ponto de querer saber das tuas coisas.
e que tu não veja a hora de escrever uma dessas coisas comprometedoras no tuíter, que vai fazer com que todo mundo saiba o que tu sente.
e que tu ache que eu mereço mais e por isso mesmo tu vai dar jeito de ser o que mereço.

ser humano que não vai rasgar meu coração, por favor, eu quero tão pouquinho!
quero saber que posso expôr meu pior defeito sem ter medo de que tu fique com medo de estar indo rápido demais.
quero que tu seja adulto o suficiente pra sentar praça na cavalaria.
quero que uma cara triste minha não te faça calar, mas vir me proteger.
quero que tu lute contra o que quer que seja.
quero tua coragem.

não é difícil, não custa nada. eu só não quero de novo achar que posso entregar esta porcaria de músculo aqui e acabe sendo pra açougueiro furar. seja homem, ser humano que não vai partir meu coração em vários caquinhos, e seja decente. e não me deixe virar essa pessoa ridícula que fica pensando em coisas idiotas como "nunca mais vou me entregar pra ninguém" ou "quando eu gostar de alguém, vou sentar e esperar passar".

espero, ser humano, que esta carta te encontre bem. e que tu me perdoe a franqueza, mas é que tou cansada. e que tu entenda minha angústia. vou te esperar aqui balançando os pés. não sei se já te conheço, mas eu sei que tu existe.

ou, na verdade, tu pode cortar toda essa lista e fazer apenas uma coisa, pelo bem da minha sanidade: não machuca o meu coração. seja como for, tu vai saber muito rápido o que machuca meu coração ou não. basta não fazer. e eu te prometo o mundo.

de alguém que te considera muito, e que gosta de ti pra caramba,

com carinho,

eu

[ Penkala ] 04:06 ] 0 comentários

 
eu uso óculos




CLICA QUE VAI:
www.flickr.com
Penkala's eu, casa & coisas photoset Penkala's eu, casa & coisas photoset

BLACK BIRD SINGING:

Get Firefox!








Powered by Blogger


RSS