] segunda-feira, novembro 29, 2010
 
ser atéia não quer dizer que eu não acredite em nada.

eu acredito na lei da gravidade. e nas leis de Newton. na maioria das leis da natureza. eu acredito muito na ciência, na biologia, na química. em outras ciências também.

acho fantástico esse negócio da lei da atração. e de como quando de repente gosto muito de uma pessoa logo quando conheço ela. e na química que envolve isso tudo. e se por um lado se tem a sensação mais agradável quando se está junto, por outro, a dor mais horrível quando se está separado. e com isso, a insônia. parece místico, mas é pura ciência... quando se olha nos olhos de alguém e se tem a impressão de que já conhece aquela pessoa de muitos e muitos anos, embora ela tenha nascido bem depois de ti... a saudade dói, especialmente porque evoca a lembrança de uma separação que dura mais ainda. eu levo muito a sério esses fenômenos. ciência é uma coisa que tu tem que respeitar...

mas eu sou a cientista que estuda cinema. e acredito nas teorias da narrativa. duas das mais importantes são: 1. nada acontece por acaso; 2. se uma pessoa atravessa o teu caminho, é porque ela tem alguma missão a cumprir contigo. se existem duas pessoas que se encontram de uma forma específica na trama, é porque elas devem ficar juntas. e se elas se encontram, é porque algo elas precisam cumprir juntas. mais de 100 anos de roteiros de cinema e muito, mas muito mais do que isso na literatura ensinam. pode demorar. tem filmes que duram mais que duas horas. pode ter um milhão de percalços e contratempos. mas nada acontece por acaso. e nenhum encontro assim tão importante acontece por nada.

não custa, claro, rezar que dê tudo certo. eu, que sou atéia, não sei rezar. mas é sempre bom rezar pra tudo dar certo. e o filme seguir as leis básicas da narrativa. e a ciência, que é mais velha que andar pra frente, explicar, por meio de experimentos muito simples, o que os seres humanos, em sua infinita confusão, acabam não entendendo. porque certas leis são simples de se provar pela química, pela biologia. pela física até.

certas coisas, Freud explica. mas eu sou mais das outras ciências. e, como todo bom cientista, eu sou persistente. eu não desisto, eu espero. uma hora, o resultado aparece. e Freud fica no chinelo diante de um simples átomo fazendo uma curva. porque por mais que Freud explique os mecanismos complexos da natureza humana, ele nunca conseguiu explicar a espetacular simplicidade da natureza que está acima disso.

[ Penkala ] 22:20 ] 0 comentários

 
eu uso óculos




CLICA QUE VAI:
www.flickr.com
Penkala's eu, casa & coisas photoset Penkala's eu, casa & coisas photoset

BLACK BIRD SINGING:

Get Firefox!








Powered by Blogger


RSS