] quinta-feira, dezembro 30, 2010
 
corações de 1,99

aprender lições é difícil. não que eu seja burra. mas aprender lições na vida é muito difícil. porque a vida é o que acontece enquanto está acontecendo. é como tu querer estudar tua própria anatomia enquanto está vivo. difícil. e eu odeio admitir quando tou levando pau numa disciplina.

tu sabe, em teoria. só na hora do exercício é que tu erra. tu sabe no ensaio, mas quando a coisa é de verdade, tu faz tudo errado de novo. e o pior de tudo é que tu erra e dói. tu erra e fica mal. tu erra e é humilhado. tu erra e fica te sentindo um lixo.

mas tu vai aprendendo. aos poucos. devagar tu aprende que dar valor demais aos outros é bom. se eles merecem. se não merecem, isso dói. tu aprende aos poucos que se doar, só se for 10%. só se for com um pé atrás. porque depois tu fica sem nada. porque todo mundo sempre foge na hora em que tu mais precisa. e foge com aquele pedaço teu.

tu aprende aos poucos que se entregar é lindo, mas só funciona em filme. porque no mundo real, normalmente tu te entrega numa caixa linda, com um laço de fita rara, e a pessoa olha e diz: nossa, isso é tudo o que eu pedi na vida! isso é sensacional! isso é a coisa mais especial do mundo! e, na verdade, por trás daquelas palavras, quando a pessoa fecha a porta de casa e está sozinha na sala junto com o próprio coração, ela joga a caixa num canto. porque certamente existem coisas mais importantes. só que pra ti, tudo o que tu é e o que tu tinha, tá entregue naquela caixa.

ninguém tem noção, né?, do quanto dói. ninguém tem noção do quanto tu investe. e do quanto tu arrisca. e do quanto dói ver aquilo que tu tem de mais valor sendo tratado como qualquer porcaria que tu usa e joga fora. ninguém tem noção de que pessoas têm sentimentos. de que pessoas sofrem. de que pessoas saem machucadas quando arrancam tudo de dentro do peito enquanto o outro oferece um coração de 1,99.

sozinho, tu e a tua insônia, tu pensa que da próxima tu devia comprar logo uns 5 corações de 1,99 e, quando chegar a hora, dar eles. na próxima, tu pensa, é hora de entregar só 5%. é hora de fazer sofrer, é hora de chutar, de magoar.

mas tu não consegue.

porque tu é honesta com as pessoas. tu não usa as pessoas. ainda que seja pra matar a carência. tu é honesta e tu joga limpo. e tu sempre te fode por isso.

falta tu aprender a te dar valor. a te dar o devido respeito. porque se tu não souber te dar o respeito que tu merece, ninguém vai fazer isso. se tu correr atrás de quem não vale as tuas lágrimas, tu não tem respeito por tudo o que tu é. se tu ficar magoada porque aquela pessoa promete, promete, promete e promete e nunca cumpre, sempre te deixa na mão, tu não tem respeito por ti. porque se ela te deixa na mão, é porque tu entregou pra ela o que não devia.

da próxima tu aprende a ser cruel. tu vai penar, mas talvez isso mostre aos outros, mesmo que seja um sacrifício pra ti, que tu tem valor e que ninguém te achou no lixo, não. da próxima, tu aprende a dizer não.

tu aprende, aos poucos, que ser o estepe pra rodar os quilômetros que restam até uma borracharia é coisa de quem não se dá valor. tu aprende que estepe é estepe. tu aprende que tu pode salvar uma viagem numa madrugada de chuva. mas na hora de sair pros roteiros divertidos, estepe é lá debaixo da traseira.

tu aprende aos poucos que é fácil dizer que tu é foda. difícil é te querer mesmo quando nem tu mesma te tolera mais. fácil dizer que tu é especial. na hora da vida real, tu pode estar morrendo e ninguém liga. tu aprende aos poucos que tu é amiga, que tu é a pessoa com quem é muito bom conversar madrugada a dentro, que tu é sonho, tu é quimera, tu tá no pedestal. tu faz coisas tão bem que o diabo duvida. tu é a mocinha pra quem o vinho libera toda a verdade. só que quando tu mostra teus sentimentos, e pede apenas pra ser levada a sério... quando tu te torna real e a tua humanidade é feita de sangue com gosto de ferro e lágrimas salgadas... aí é conveniente fugir. é conveniente dizer o quanto é difícil dizer que não. tu aprende que pessoas que enchem a cara e te tiram pra dançar e te dizem a letra da música no ouvido, são as que no dia seguinte vão te ignorar no corredor. mesmo que no dia seguinte encham a cara de novo e te tirem pra dançar de novo.

tu aprende que em vez de ir pra festa com a tua melhor roupa e perfume, tu ficaria melhor em casa lendo um livro. tu aprende que por mais que tu te iluda com o misterioso interesse que certas pessoas têm por ti, na hora em que tu vê a morte de perto, só quem está do teu lado de verdade sabe o quanto tu tá sofrendo e assustado e com medo de morrer sem ter feito quase nada daquilo que tu planejou. e tu pensa que não tem ninguém pra quem tu possa ligar que vai sair de onde estiver correndo à pé se for preciso pra ir lá te tirar daquela porra daquele carro destruído numa vala, no meio duma chuva.

tu aprende, aos poucos, e com muito sacrifício, que a vida dá jeito de ir te mostrando quem merece aquela caixa decorada com a fita rara. é quem jamais vai te ignorar, mesmo que pra isso precise sacrificar seu conforto. porque não é fácil assumir esse pacote, que vem com todos esses poréns que tu cultiva há tanto tempo. mas só merece que tu perca teu respeito por ti mesmo aquele que não te faz perder o respeito por ti mesmo. que segura essa caixa bonita, decorada com a fita rara, abre na tua frente e vê que tem milhões de poréns saltitando. mas estica a mão pra pegar aquela coisa de mais valor, tira de dentro da caixa e diz: eu gosto tanto disso. e, ainda olhando no teu olho, coloca de novo na caixa, junto com todos os poréns, aperta a caixa contra o peito e te convida pra entrar. e coloca a caixa num lugar especial.

tu aprende que tu só deve colocar aquela combinação vintage linda com lacinhos pretos, ou aquelas rendas bordô, ou aquelas garters tão delicadas, pra quem um dia mandou todo mundo sair do carro pra te dar carona, só porque te viu caminhando na chuva, com os coturnos cheios de lama. porque essa pessoa vai correr o mundo contigo no sol, no calor, no seu horário de almoço, pra procurar o lenço de pinup que tu tanto quer. e é essa pessoa que vai te olhar nos olhos e ver que tu vale muito mais que conforto, que os amigos de confraria, ou o que quer que seja que sirva de desculpa pra ela não tomar uma decisão. que tu vale enfrentar todo mundo. que te respeitar está acima de tudo. alguém que vai preferir lutar contigo a transar com qualquer outra, como diria aquela frase famosa.

tu aprende a ser forte de verdade e perde o medo de bater o pé pelo que tu quer. tu aprende que enquanto tu continuar sendo a estepe boazinha que deixa todo mundo tranquilo, ou a amiga legal que serve pra tudo, ninguém vai te dar valor de verdade. tu aprende a ser corajosa pra enfrentar o "sinto muito, mas não posso" quando tu cansa de ficar te iludindo e só se dando conta de que tá se enganando sozinha, depois. e quando tu cria coragem e diz, com as mãos na cintura: "ou toma coragem, enfrenta o mundo e assume o risco de receber tudo o que eu tenho pra dar, ou vaza já"; aí tem o perigo de aparecer um punhado de covardezinhos declinando do tentador convite. mas é quando talvez tu vá ver um merdinha que sobra e que de repente decide correr o risco porque o benefício, considera ele, é maior. mas pra isso tu precisa colocar mesmo a mão na cintura e mandar vazar quem não tem cojones.

o primeiro passo é difícil. mas ele começa já. começa colocando as mãos na cintura.

[ Penkala ] 03:17 ] 0 comentários

 
eu uso óculos




CLICA QUE VAI:
www.flickr.com
Penkala's eu, casa & coisas photoset Penkala's eu, casa & coisas photoset

BLACK BIRD SINGING:

Get Firefox!








Powered by Blogger


RSS