] quinta-feira, dezembro 09, 2010
 
eu sou um homem das cavernas, e venho caminhando sobre este mundo há milhares de anos
eu ando em círculos. dentro da minha caverna, eu ando em círculos. até minhas pernas doerem...

meu coração de milhares de anos é um felino que carrega solidão
na guerra, ele luta. e depois, cansado, dorme ao lado de todos os mortos no chão.
e na minha caverna eu ando em círculos. eu e meu coração. espada e escudo. e os mortos no chão...

o mundo é meu há tanto tempo, eu tenho a terra, e tenho o céu, e tenho uma estrada diante de mim, mas dentro da minha caverna eu ando em círculos. a terra submetida à minha caminhada, o céu caindo sobre minha cabeça. eu seguro ele nas costas e ando em círculos

eu sou um homem das cavernas e tenho milhares de anos. eu já amei todos os homens que nasceram, e já lutei contra todos os homens que estão mortos. é uma sina, é uma missão
eu avanço, eu ando longe, minhas pernas suportam o peso do que carrego dentro de um peito cansado, sobre minhas costas largas
e dentro do meu coração, eu ando em círculos

meu cetro sobre esta terra não me manda ser homem, e eu sou. há milhares de anos eu reino sobre minhas próprias pernas. dentro dessas muralhas, minha palavra é lei
mas sou um idiota. sou apenas um idiota andando sobre esta terra sem nome
em círculos

eu sou um homem, e este mundo é meu. carrego todas as coisas dentro de mim
eu ando em círculos dentro de um forte, eu ando em círculos dentro da minha caverna
eu sou um homem preso ao meu próprio coração
com grades do diâmetro dos meus medos, e da densidade das minhas fraquezas

eu sou um homem, e eu mando nesta terra
e dentro deste território, eu sou o mais rico de todos
mas eu não consigo ver outra coisa que não meus pés cansados
andando em círculos

eu domino até onde se pode enxergar, eu domino o fogo, eu domino a luz
eu sou o mestre, mas eu tenho dúvidas
na verdade, não passo de um homem sozinho, sentado sobre a pedra, no pico de uma montanha
de onde enxergo meu mundo, e nele o chão infértil de mil mortes

eu penso em círculos, eu estou sozinho
e minha cabeça me engana
meu coração nunca pára, meu pensamento nunca cansa
eu estou aqui amando em círculos

eu sou um homem das cavernas que quer negar tudo, eu estou sobre a terra há milhares de anos
eu estou sozinho, andando em círculos, as pernas doendo, meu coração parando
mas ainda sou rei, e até onde eu sei, mestre dos meus domínios
mas ando em círculos há tempo demais agora...

[ da série: AS MÚSICAS FALAM COMIGO. episódio de hoje, Je suis un homme/Zazie ]

PS: não deu pra evitar de essa música grudar na minha cabeça também. maldição!

[ Penkala ] 22:59 ] 0 comentários

 
eu uso óculos




CLICA QUE VAI:
www.flickr.com
Penkala's eu, casa & coisas photoset Penkala's eu, casa & coisas photoset

BLACK BIRD SINGING:

Get Firefox!








Powered by Blogger


RSS